Análise da 1º Temporada da série Solos, disponível no Amazon Prime Video

0
241

 

O Amazon Prime Video lançou neste último 25 de junho a nova série antológica Solos e embora a temática ser muito semelhante a Black Mirror pois fala de um tempo futuro e cheio de possibilidades de – que de algum jeito – que possa acontecer com a humanidade, Solos para com as semelhanças por aí. Com um grande elenco muito famoso e querido pela a maioria, Solos te cativa por conta que, junto com o futuro, as personagens conversam com o público temas que exploração a existência humana. Faz você se colocar no lugar e refletir o que você faria se fosse de cada um deles.

 

 

Não sei se a ideia original era um monólogo ou se por conta deles gravaram durante a pandemia (2020) tiveram que adaptar, a série contém 7 episódios que duram entre 25 … 30 minutos cada. E os atores (Anne Hathaway, Anthony Mackie, Constance Wu e Morgan Freeman) atuam sozinhos ou com apenas mais um colega. Confesso que tem episódio cansativo por que fica muito parado, porém no geral, é uma série que vale apena assistir.

 

Como são episódios pequenos, vou contar um pouquinho para despertar um interesse (rs)

 

Primeiro episódio, uma física chamada Leah (Anne Hathaway) para a vida para se dedicar a viagem do tempo, porém com interesse para próprio benefício.

 

Segundo episódio, Tom (Anthony Mackie – sim … o Falcão da Marvel!) conversa com o robô que é sua cópia por que ele precisa organizar a vida da família, pois não tem muito tempo de vida.

 

Terceiro episódio, Peg (Helen Mirren) é uma idosa que tenta arriscar-se em algo surpreendente pois percebeu que viveu sem ser notada – Tocante esse episódio!

Quarto episódio, esse é o melhor na minha opinião pois fala de algo tão possível e tão real caso continue essa pandemia com vírus cheio de variantes e até o momento, sem solução definitiva. Sasha (Uzo Aduba – sim, estamos falando da interprete de Suzanne “Crazy Eyes” Warren na série Orange Is the New Black da Netflix) – uma mulher que ficou isolada em uma casa inteligente para se proteger de um vírus global (qualquer semelhança…) e conversa apenas com um robô que tenta convencê-la que tudo já passou.

 

Quinto episódio conta a história de Jenny (Constance Wu – Crazy Rich Asians) que está dentro de uma sala sem saber o porquê não consegue sair e enquanto espera, tenta puxar pela sua memória a sequência de acontecimentos até chegar naquele lugar. Desnecessário algumas falas mas acaba te prendendo por conta da narrativa.

 

Sexto episódio, é bem bizarro (rs) … ficção científica mesmo. Uma mulher chamada Nera (Nicole Beharie – também atuou em Black Mirror) com o desejo de ser mãe acaba fazendo um tratamento de última geração e … dá ruim (rs) por que acontece de forma muito rápida algo com o menino e ela fica no dilema se toma uma providência racional ou se o protege com seu instinto materno.

 

Por fim, deixaram o ator (sensacional) Morgan Freeman que dispensa apresentação, com o sétimo episódio. Junto com ele atua o ator Dan Steves (o Fera de A Bela e a Fera) conta a história de Otto (Dan Steves) que localiza Stuart (Freeman) que tem Alzheimer e com um implante de memória consegue descobrir lembranças sobre ele.

E aí vem o mais legal: tem que assistir os 7 episódios por que Otto descobre um segredo que une a primeira temporada inteira.

 

David Weil é criador e produtor ao lado de Sam Taylor-Johnson e de  Laura Lancaster. Com diretores adicionais Zach Braff e Tiffany Johnson, Solos é uma boa opção para quem gosta de reflexão sobre nossas escolhas e gostam de episódios rápidos!

 

A 1º Temporada da série Solos está disponível na plataforma de streaming do Amazon Prime Vídeo. Confira o trailer abaixo:

 

 

1º Temporada da série Solos - Amazon Prime Video
Nota Final
8.2/10
8.2/10
  • Ideia e Roteiro - 7.8/10
    7.8/10
  • Fotografia, Figurino e Efeitos Visuais - 8.2/10
    8.2/10
  • Áudio e Trilha Sonora - 7.5/10
    7.5/10
  • Adaptação e Atuação - 9.1/10
    9.1/10
Sending
VOTAÇÃO POPULAR ➡️
5 (1 vote)

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Série para reflexão sobre a vida que escolhemos viver e até onde os avanços tecnológicos serão um benefício para a humanidade.