Nem só de Sonic vive a Sega, conheça Yakuza, a franquia de jogos mais adulta da Sega

0
42

 

O Japão é conhecido no meio da cultura pop por ser um grande exportador seja de músicas, filmes, animes ou jogos, e no meio de tanta informação é natural que algumas coisas não acabem se destacando. Graças a facilidade de conhecer coisas novas que algumas plataformas proporcionam, a franquia de jogos Yakuza até então desconhecida para grande maioria do ocidente, começou a ganhar notoriedade com seus jogos recebendo portes para PC através da Steam, popularizando um pouco mais a franquia. Conheça aqui um pouco sobre ela para ingressar nesse ouro recém chegado as terras ocidentais.

 

Goro Majima em Yakuza 0

 

Um breve resumo

 

Yakuza (lançado com o título original de Ryu Ga Gotoku no Japão para evitar polêmicas) é uma franquia da Sega que teve seu inicio ainda no tão marcante Playstation 2 no ano de 2005, de lá pra cá a franquia conta com 7 jogos sequenciais, isso é, sem contar os remakes e spin-off.

 

Em sua linha de jogos principais, ele nos traz como protagonista Kazuma Kiryu (que muitos devem conhecer pelo meme de Baka Mitai), um yakuza que precisa investigar o desaparecimento da fortuna do clã Tojo, enquanto cuida de uma garota órfã, porém isso não é nem 5% de sua história, já que as histórias se concluem dentro do próprio jogo, podendo assim possuir enredos novos nas sequências.

 

Taiga Saejima, protagonista do Yakuza 5 lutando contra um urso

 

Com o decorrer dos jogos e com a melhora no potencial dos consoles, a equipe de desenvolvedores puderam explorar outros personagens carismáticos com você podendo jogar com eles enquanto possuem seus próprios estilos de luta, histórias próprias e uma jogabilidade completamente diferente de Kiryu.

 

Mas afinal, como é o jogo?

 

O jogo é simples, ele é dividido em capítulos onde você controlará o protagonista dele (que dependendo do jogo, possui mais de um protagonista presente além do Kiryu) e você precisa concluir as missões que irão ser indicadas no mapa para então progredir na história, tendo a possibilidade de realizar upgrades nos diferenciados estilos de luta disponíveis.

 

O diferencial de Yakuza nisso se dá pelo seu combate, já que o jogo não é exatamente um sandbox, você ao entrar em um combate não possui influências externas como pedestres passando, carros na rua e tudo mais que jogos como GTA, Saints Row e afins possuem, aqui após você entrar em uma luta pelo mapa, ficará em uma área onde você irá no “mano a mano” contra seus inimigos, já que no Japão o acesso as armas de fogo não é algo fácil, tendo algumas situações especiais onde inimigos com pistolas e facas aparecem apenas em certas missões história e side quests.

 

Kazuma Kiryu cantando Baka Mitai no karoake em Yakuza 0

Diferente também de outros sandbox, Yakuza possuí uma área mais limitada, com você podendo circular apenas em um bairro (com exceção de algumas missões) mas que por sua vez possui grande variedade de interações.

 

Por ter sido um jogo pensado primeiramente no público japonês, há vários minigames dentro do jogo que são diferentes um do outro (no Yakuza 0 por exemplo, você tem o próprio jogo Outrun de megadrive disponível para se jogar nos fliperamas), os minigames vão desde jogos no fliperama até coisas da vida noturna de Kamurocho (bairro fictício onde se passa Yakuza, baseado no bairro real de Kabukicho)  como karaokê, clubes de dança, entre coisas a mais que variam de jogo para jogo, vale ressaltar que o jogo possuí uma grande quantidade de referências a cultura japonesa tanto tradicional quanto moderna, o que para os entusiastas em Japão é um prato cheio para olhar e dizer “Opa, eu entendi essa referência!”

 

Ok, além do mapa, combate e minigames diferenciados o que mais Yakuza tem para oferecer?

 

Um dos pontos que mais destaca Yakuza de outros jogos voltados para o público mais maduro, é que ele não se leva tão a sério, quebrando padrões de jogos nesse gênero onde o tempo inteiro você está envolvido em alguma organização criminosa, indo para clubes de strip e todas as outras coisas que jogos assim colocam, Yakuza por outro lado vai em uma corrente oposta muitas vezes levando para o cunho humorístico, recebendo um “raio japonesador” em algumas situações transformando até coisas simples em algo com mais ação e drama do que o habitual. A franquia nos trás uma história que muitas vezes pode ser pesada e triste, mas que no meio da sua gameplay você ainda pode rir com alguns momentos o que dá uma experiência completamente diferente de outros jogos, seja com você conhecendo mais sobre o Kiryu e vendo como ele é único em relação a outros protagonistas de outras franquias, por parecer ser extremamente sério e bad boy mas na verdade ser dócil e gentil, como até em missões onde…você contrata uma galinha para te ajudar no business…

 

Eu não preciso dizer mais nada…

 

Já sei sobre tudo isso agora, mas aonde jogo e qual é a ordem certa para jogar?

 

Você pode se guiar pela ordem de lançamento sem problemas, caso é claro queira jogar os jogos mais antigos, eu particularmente não recomendo, pois acabaram ficando datados, então aqui está a ordem que eu prefiro:

 

Um dos minigames em Yakuza Kiwami 2 onde envolve tanto Kiryu quanto Goro Majima

 

Yakuza 0: Nele você ira ser introduzido a história de de Kiryu e Goro Majima (segundo protagonista do jogo) antes do tempo atual, para entender os jogos seguintes;

Yakuza kiwami: Esse é um remake do primeiro jogo, com gráficos e jogabilidade melhorada além de recursos novos;

Yakuza kiwami 2: Continuação do jogo anterior e remake do jogo lançado para PS2;

Yakuza 3 e 4 remastered: Continuação do jogo anterior e com o gráfico melhorado do jogo lançado para PS3, caso não tenha problemas com gráfico pode jogar o normal tranquilamente;

Yakuza 5 remastered: Continuação do jogo anterior, com gráficos e taxa de frames melhorados e com engine gráfica nova, além é claro de nesse jogo possuir 5 protagonistas jogáveis;

Yakuza 6: The Song of Life: Continuação do jogo anterior, lançado para PS4 então não possuí nenhum remake, nele se encerra a história de Kiryu;

Yakuza: Like a Dragon: Continuação do jogo anterior e apresentação de Ichiban Kasuga o novo protagonista da franquia além da mudança de jogabilidade ficando similar a Dragon Quest como forma de referência, é o último lançado até o momento.

 

Ichiban Kasuga ao centro no banner do novo jogo

 

Vale ressaltar que ainda possuí alguns spin-off mas que não irei citar aqui já que o intuito é apresentar a franquia principal, outro detalhe é que como a maioria dos jogos que não fazem tanto sucesso aqui a maior parte da franquia é lançada apenas para os consoles e principalmente como exclusivos de Playstation, porém os jogos Yakuza kiwami 1 e 2, Yakuza 0 e Yakuza: Like a Dragon possuem versões para PC e Xbox, sem previsões para lançamentos dos outros jogos para outras plataformas, contudo, recentemente a própria Sega anunciou na página de Yakuza: Like a Dragon que o jogo receberá legendas em português-brasileiro no inicio de 2021, indicando que o jogo está fazendo bastante sucesso no ocidente o que pode abrir os olhos da Sega para um possível porte dos outros jogos para PC, além disso foi lançado uma coleção remastered para o PS4 com todos os jogos, então para os sonystas de plantão não tem o que esperar para ingressar nessa franquia.