CCXP Awards faz edição história na Sala São Paulo

0
32

 

Uma vitória da Cultura Pop Nacional. Esse é o legado que a primeira edição da CCXP Awards deixou em premiação realizada nesta sexta-feira (15 de julho) em São Paulo. Logo na estreia, a maior premiação do Brasil reuniu influenciadores, famosos e artistas na icônica Sala São Paulo, na região central da cidade. No palco, o grande vencedor da noite, com dois prêmios, foi o filme A Última Floresta, que levou o grande prêmio da noite, o Grand Prix, e a subcategoria Melhor Filme Nacional. A hashtag #CCXPAwards ficou presente por mais de duas horas nos trending topics do Twitter. O alcance potencial da premiação chegou a mais de 15 milhões de pessoas.

Ariel Martini/ I Hate Flash

 

Foram entregues 32 troféus durante a noite em seis vertentes da cultura pop: Filmes, Séries, Literatura, Games & eSports, Quadrinhos e Creators. Todos os vencedores levaram para casa a Glória, nome do troféu inspirado em um dos principais símbolos da cultura pop, o dragão. A escolha foi feita devido a presença dessa figura mitológica em todos os universos de cultura pop e da CCXP Awards.

 

Para Roberto Fabri, VP de conteúdo e curador das marcas CCXP, a missão de entregar um prêmio para a indústria de cultura pop nacional foi realizada com sucesso. “Sonhamos lá atrás e trouxemos todo o mercado pra sonhar com a gente. Estamos muito felizes com a aceitação da premiação pelo meio artístico. Era o prêmio que faltava na cultura pop nacional.”, diz Fabri.

 

O EVENTO

 

Com uma abertura ‘épica’, a CCXP AWARDS trouxe a Orquestra Santa Marcelina tocando o tema da CCXP, acompanhada de diversos bailarinos em figurinos de personagens famosos dos quadrinhos, literatura e do audiovisual. A apresentação da noite foi do host Tiago Leifert que abriu o evento com a frase “Hoje, nós nerds dominamos o mundo!”. Ainda em clima festivo de um red carpet repleto de estrelas, a CCXP exibiu um vídeo contendo o manifesto do evento que afirma: “A CCXP Awards veio para dar o respeito merecido a todas as categorias”.

 

A primeira subcategoria da noite foi de Melhor Livro de Ficção, com a apresentação de Alê Garcia. O vencedor foi O Serviço de Entrega Monstruosas, de Jim Anotsu. Emocionado em seu discurso, lembrou de sua infância e vida difícil, mas terminou com uma mensagem esperançosa: “Isso é para todo mundo que sonhou o impossível”.

 

Na sequência, os humoristas Ed Gama, Dani Calabresa e Antonio Tabet apresentaram os vencedores da categoria Séries. Em um momento descontraído, Gama e Calabresa imitaram Gil do Vigor e Jade Picon levando o público a gargalhadas. Vencedor como Melhor Ator, Cristian Malheiros, da série Sintonia, agradeceu em seu discurso o carinho do público. Premiada como Melhor Atriz Nacional, Liniker, da série Manhãs de Setembro, subiu ao palco e dedicou o prêmio a Ebony, maquiadora que faleceu esse ano. Ela afirmou: “significa muito para as trans terem um lugar de representação, e que não seja de diminutiva e nem de escracho”. Na continuação foi entregue os prêmios de Melhor Série Global e Nacional, para Succession e Sob Pressão, respectivamente.

 

Ao final do primeiro bloco, o apresentador da noite discursou sobre a situação da fome no Brasil e lembrou que o país voltou a estar dentro do mapa da fome mundial. “15 milhões de pessoas passam fome no Brasil, e você pode ser nosso herói. O valor arrecadado aqui irá para a Gerando Falcões que realizará as divisões”, sendo ovacionado pela plateia.

 

A banda Fresno foi a primeira atração musical a se apresentar abrindo o bloco que homenageou os cosplayers com um vídeo especial, mostrando toda a rotina, preparação e a importância deles para a comunidade. Dando segmento, foi a vez do Creators, que premiou os maiores produtores de conteúdo do Brasil, e na subcategoria de Melhor Streamer Masculino Nacional, tivemos Casimiro Miguel como vencedor. Por vídeo, ele agradeceu a indicação. “Na manhã de hoje eu recebi essa surpresa maravilhosa, e me pediram para gravar um vídeo e eu não sei gravar vídeos para premiação… Mas eu também não sabia fazer live…”, discursou. Na categoria feminina, a vencedora foi Sher Machado de Souza que contou sua história. “Eu sonho em ser streamer desde 2016, mas só comprei meu primeiro computador em 2020, por influência da Nath Finanças… Se eu pudesse voltar no tempo, eu só queria falar para a Sherzinha: “não desiste… Olha onde a gente pode chegar!”.

A apresentação de Melhor Criador de Conteúdo ficou nas mãos do casal Nyvi Estephan e Felipe Castanhari. Eles anunciaram a vencedora Carol Moreira. Surpresa, ela agradeceu sua equipe e ao Omelete, onde iniciou sua carreira. Como Melhor Podcast, o vencedor foi Mano a Mano, do rapper Mano Brown.

 

Apresentado pelo streamer Alexandre Gaules e o surfista Gabriel Medina, o vencedor do Melhor Mesacast foi o PodPah, apresentado por Igão e Mítico. “Se a gente não ganhasse, a gente ia ficar muito put*…. Em 2020 nós começamos esse podcast, agora estamos contando as notas e recebendo prêmios”, declarou a dupla.

 

O terceiro bloco, dedicado a Quadrinhos e Games & eSports, começou com um discurso divertido do elenco dos filmes da ‘Turma da Mônica’, que homenageou os profissionais das HQs. O primeiro a subir no palco foi Gidalti Jr, vencedor como Melhor Álbum, com Brega Story. Muito emocionado, o autor citou: “Esses livros me levaram a conhecer mais a fundo a Amazônia, que é muito linda, mas é uma região com os piores índices de IDH, com os piores índices de educação e nós artistas temos que reverter esse quadro… Eu peço a indústria para dar mais espaço para os artistas do Norte. Nós precisamos retratar a Amazônia sobre um olhar nativo”. O prêmio de Melhor Quadrinho foi para Arlindo, de Ilustralu (Luiza de Souza). Já Marcello Quintanilha levou o troféu de Melhor Quadrinista, por Escuta, Formosa Márcia.

 

Iniciando a categoria Games & eSports, o prêmio de Melhor Game Global foi para It Takes Two. A premiação seguiu com show do rapper Rashid. Na subcategoria Pro Player Masculino, o vencedor foi Gustavo “Sacy” Rossi, jogador de Valorant pela LOUD. Ele agradeceu a todo o seu time, sua torcida e sua noiva, Sofia. Já em Pro Player Feminina, o troféu foi para Natália “Daiki” Vilela, da Liquid. Emocionada em seu discurso, ela ressaltou a importância das outras participantes: “Para mim, é absurdo ver meu nome ao lado das outras concorrentes”.

 

O melhor do cinema foi o tema do quarto bloco da premiação. Em espetáculo musical, a orquestra executou com perfeição a trilha sonora de E.T, do premiado John Williams, que comemorou 40 anos de seu legado em 2022. O ator Rodrigo Santoro surgiu em vídeo e fez questão de valorizar a produção de audiovisual nacional. Ele ressaltou a importância mundial do Brasil no setor.

 

Os atores Lívian Aragão e Tiago Abravanel apresentaram o prêmio de Melhor Filme Global, que foi para Judas e o Messias Negro. Vencedor da subcategoria de Melhor Ator, Seu Jorge agradeceu pelo prêmio e afirmou estar muito honrado. Entre as mulheres, a atriz Renata Carvalho foi premiada por sua atuação em Vento Seco. Também por vídeo, ela agradeceu a Daniel Nolasco, diretor do filme, por escolher uma atriz travesti para encenar uma personagem cisgênero.

 

 

As diretoras Ana Muylaerte e receberam o troféu de Melhor Direção por Alvorada. Em seu discurso, ressaltou a importância de uma obra política em uma premiação pop. “O filme mostra a semente de tudo o que a gente está vendo agora”. A CCXP Awards ainda premiou como Melhor Filme Nacional, A Última Floresta. O diretor, Luiz Bolognesi, ausente na premiação, agradeceu aos Yanomami e fez um discurso em tom crítico.

 

Caminhando para o fim, em tom saudoso, o evento fez uma emocionante homenagem póstuma aos artistas. Entre os nomes lembrados estavam os atores Paulo Gustavo, Eva Wilma, Tarcísio Meira, o escritor Artur Xexéu, o autor Gilberto Braga, as cantoras Marília Mendonça e Elza Soares, ao lado de outras personalidades.

 

No último bloco, os fandoms também foram homenageados e o vencedor de 2022 foi o borboletário, da atriz Carla Diaz. Em seu discurso, agradeceu a todos os seus fãs e explicou, bastante emocionada, o porquê das borboletas serem seu emoji. A atriz lembrou que venceu um câncer na tireoide (que possui formato de borboleta) e assim nasceu a simbologia. Ela aproveitou para ressaltar a importância de receber esse prêmio justamente no mês de julho, quando é comemorado o “Julho Verde”, mês de conscientização mundial sobre os tumores de cabeça e pescoço.

 

Nesta primeira edição o Hall da Fama da Cultura Pop começou a ser construída pela CCXP Awards. Os primeiros nomes homenageados foram: Renato Aragão, Fernanda Montenegro, Laerte, Cao Hamburguer e Mauricio de Sousa.

 

Para finalizar, Tiago Leifert convidou todos os premiados para subirem ao palco e receberem um longo aplauso do público.

 

OUTROS PREMIADOS

 

Repleto de celebridades e looks lindíssimos a cobertura do Red Carpet contou com a cobertura e transmissão ao vivo do Omelete, Tribo e PodPah. Durante o pré-show foi anunciados 13 vencedores, entre elas, Melhor Não-Ficção, vencida por Chico Felitti, autor de Elke: Mulher Maravilha. Como Melhor Tira e Web-tira Nacional, Laerte recebeu o troféu pelo Manual do Minotauro. A cartunista, que não estava presente, mas enviou um vídeo de agradecimento e garantiu que todas as outras concorrentes eram muito boas.

 

Ainda em quadrinhos, Gabriel Nascimento venceu como Melhor Roteirista, com A Menor Distância entre Dois Pontos é uma Fuga. Shiko também recebeu seu prêmio na subcategoria de Melhor Desenhista, com sua obra Carniça e a Blindagem Mística. Guilherme Petreca, grande nome das HQs nacionais, levou como Melhor Colorista. O Arte-Finalista escolhido da noite foi Orlandeli, que trabalhou em Chico Bento — Verdade, da editora MSP.

 

Outro que levou dois prêmios para casa foi a Riot com Valorant, vencendo como Melhor Game Competitivo e League Of Legend: Wild Rift, como melhor Game Mobile. Entre os games brasileiros, o prêmio foi para Unsighted, do estúdio Pixel Punk. E para fechar o mundo dos jogos eletrônicos, a Fúria foi eleita a Melhor Organização.

 

Entre os criadores de conteúdo, Rafael Vicente venceu como Revelação do Ano. Por fim, as homenagens especiais foram para Sidney Gusman e Mercado Livre, como profissionais do ano em ambiente endêmico e não endêmico.

 

Confira a lista dos vencedores

 

FILMES

– Melhor Filme Global

  • A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas
  • Ataque dos Cães
  • Druk – Mais uma Rodada
  • Encanto
  • Judas e o Messias Negro (Vencedor)

– Melhor Filme Nacional

  • A Última Floresta (Vencedor)
  • Medusa
  • Medida Provisória
  • Eduardo e Mônica
  • Turma da Mônica – Lições

– Melhor Direção Nacional

  • Anita Rocha da Silveira (Medusa)
  • Anna Muylaert e Lô Politi (Alvorada) (Vencedor)
  • Daniel Rezende (Turma da Mônica)
  • Lázaro Ramos (Medida Provisória)
  • Luiz Bolognesi (A Última Floresta)

– Melhor Ator Nacional

  • César Mello (Doutor Gama)
  • Gabriel Leone (Eduardo e Mônica)
  • Irandhir Santos (Piedade)
  • Lázaro Ramos (O Silêncio da Chuva)
  • Seu Jorge (Marighella) (Vencedor)

– Melhor Atriz Nacional

  • Alice Braga (Eduardo e Mônica)
  • Grace Orsato (Meu nome é Bagdá)
  • Jéssica Ellen (Cabeça de Nêgo)
  • Renata Carvalho (Vento Seco) (Vencedor)
  • Taís Araújo (Medida Provisória)

SÉRIES DE TV

– Melhor Série Global

  • Round 6
  • Succession (Vencedor)
  • Arcane
  • WandaVision
  • Ted Lasso

– Melhor Série Nacional

  • Cidade Invisível
  • Manhãs de Setembro
  • O Caso Evandro
  • Sintonia
  • Sob Pressão (Vencedor)

– Melhor Ator Nacional

  • Christian Malheiros (Sintonia) (Vencedor)
  • Fábio Assunção (Onde Está Meu Coração)
  • Flávio Tolezani (DOM)
  • Gabriel Leone (DOM)
  • Selton Mello (Sessão de Terapia)

– Melhor Atriz Nacional

  • Alessandra Negrini (Cidade Invisível)
  • Hermila Guedes (Segunda Chamada)
  • Letícia Colin (Onde Está Meu Coração)
  • Letícia Colin (Sessão de Terapia)
  • Liniker (Manhãs de Setembro) (Vencedor)

QUADRINHOS

– Melhor Quadrinho Nacional

  • Arlindo (Vencedor)
  • Brega Story
  • Carniça e a Blindagem Mística: Parte Dois A tutela do Oculto
  • Confinada
  • Escuta, Formosa Márcia

– Melhor Quadrinista Nacional

  • Gidalti Jr. (Brega Story)
  • Ilustralu – Luiza de Souza (Arlindo)
  • Laerte (Manual do Minotauro)
  • Marcello Quintanilha (Escuta, Formosa Márcia) (Vencedor)
  • Shiko (Carniça e a Blindagem Mística: A tutela do oculto)

– Melhor Álbum Nacional

  • Arlindo
  • Brega Story (Vencedor)
  • Carniça e a Blindagem Mística: Parte Dois A tutela do Oculto
  • Escuta, Formosa Márcia
  • Isolamento

– Melhor Tira e Web-tira Nacional

  • A Urna – Amanda Miranda
  • Anésia & Dolores
  • Como eu sobrevivi à COVID-19 e seus amigos! (Tira)
  • Manual do Minotauro (Vencedor)
  • Tê Rex: Zapzombie

– Melhor Roteirista Nacional

  • Gabriel Nascimento (A menor distância entre dois pontos é uma fuga) (Vencedor)
  • Ilustralu – Luiza de Souza – (Arlindo)
  • Kash Fyre (Espetaculare Meneghetti)
  • Leandro Assis e Triscila Oliveira (Confinada)
  • Marcello Quintanilha (Escuta, Formosa Márcia)

– Melhor Desenhista Nacional

  • Shiko (Carniça e a Blindagem Mística: A tutela do oculto) (Vencedor)
  • Orlandeli (Chico Bento – Verdades)
  • Guilherme Petreca (Shamisen: Canções do Mundo Flutuante)
  • Camilo Solano (Cidade Pequenina)
  • Gidalti Jr. (Brega Story)

– Melhor Arte-Finalista Nacional

  • Alcimar Frazão (Lovistori)
  • Amanda Miranda (A Urna)
  • Gidalti Jr. (Brega Story)
  • Leandro Assis (Confinada)
  • Orlandeli (Chico Bento — Verdade) (Vencedor)

– Melhor Colorista Nacional

  • Fabi Marques (Anne de Green Gables)
  • Guilherme Petreca (Shamisen: Canções do Mundo Flutuante) (Vencedor)
  • Ilustralu – Luiza de Souza – (Arlindo)
  • Orlandeli (Chico Bento – Verdade)
  • Shiko (Carniça e a Blindagem Mística: A tutela do oculto)

  GAMES & ESPORTS

– Melhor Game Global

  • It Takes Two (Vencedor)
  • Marvel’s Guardians of the Galaxy
  • Metroid Dread
  • Psychonauts 2
  • Resident Evil Village

– Melhor Game Nacional

  • Aspire: Ina’s Tale
  • Dodgeball Academia (Pocket Trap / Humble Games)
  • Unsighted (Studio Pixel Punk) (Vencedor)

– Melhor Game Competitivo Nacional

  • Free Fire
  • R6 – Tom Clancy’s Rainbow Six Siege
  • Valorant (Vencedor)

– Melhor Game Mobile Nacional

  • Free Fire
  • League of Legends: Wild Rift (Vencedor)
  • Pokémon Unite

– Melhor ORG Nacional

  • AfroGames
  • Fúria (Vencedor)
  • Loud
  • paiN Gaming
  • RED Canids Kalunga

– Melhor Pro-Player Masculino Nacional

  • Andrei “Art” Piovezan
  • Gabriel “Aegis” Lemos
  • Gabriel “FalleN” Toledo
  • Gustavo “Sacy” (Vencedor)
  • Yago “Yago exe” Vinícius

– Melhor Pro-Player Feminina Nacional

  • Bruna “Bizinha” Marvila
  • Elizabeth “Liz” de Sousa
  • Gabriela “GaB” Scheffer
  • Karina “kaah” Takahashi
  • Natália “Daiki” Vilela (Vencedor)

 LITERATURA

– Melhor ficção Nacional

  • A extinção das abelhas
  • O Serviço de Entregas Monstruosas (Vencedor)
  • O Último Ancestral

– Melhor não-ficção Nacional

  • Elke: Mulher maravilha (Vencedor)
  • Ney Matogrosso: A Biografia
  • Racionais Mc’s: Sobrevivendo no inferno

 CREATORS

– Melhor Streamer Masculino Nacional

  • Alanzoka
  • Alexandre Gaules
  • Casimiro (Vencedor)
  • Jota Plays
  • Liminha

– Melhor Streamer Feminina Nacional

  • Camila Vieira (Kalera)
  • Diana Zambrozuski
  • Gabi Cattuzzo
  • Nicolle Merhy (Cherrygumms)
  • Sher Machado (Vencedor)

– Melhor Canal / Criador revelação Nacional

  • Folclore BR: Uma Nova Visão
  • Luva de Pedreiro
  • Professor Noslen
  • Raphael Vicente (Vencedor)
  • thallitaxavier

– Melhor Criador de conteúdo Nacional

  • Carol Moreira (Vencedor)
  • Diva Depressão
  • Jovem Nerd
  • mikannn
  • phsantos 

– Melhor Podcast Nacional

  • Confins do Universo
  • Mano a Mano (Vencedor)
  • Modus Operandi
  • NerdCast
  • Um Milkshake Chamado Wanda

– Melhor Mesacast Nacional

  • Ciência Sem Fim
  • Lança a Braba Podcast
  • Mais que 8 minutos
  • Podpah (Vencedor)
  • Venus Podcast