Cantor e humorista Bruno Sutter se torna o maior jogador de Enduro do mundo

0
85

 

Bruno Sutter, além de humorista, ator e músico, ainda guarda em sua lista de habilidades um amor por hobbies das quais ama de paixão, mas que são pouco conhecidos do grande público.

 

Bruno Sutter e o seu Atari 2600 com Enduro. (foto: @jr_sander)

 

Um deles são os videogames. Mas não os atuais cheios de gráficos e muitos botões e sim um específico que o leva de volta à infância a cada vez que liga na tomada, o Atari 2600. Foi com o aparelho que tinha desde os 8 anos de idade que Bruno decidiu bater o recorde mundial de um dos games mais famosos da plataforma: o jogo de Fórmula 1, Enduro, lançado em 1983.

 

Para isso, começou a submeter seus recordes à organização Twin Galaxies, autoridade máxima no registro de recordes de jogos, fundada  em 1981 dedicada a reconhecer e elevar a habilidade e a identidade dos jogadores de videogame e pinball ao redor do mundo. Para ter sua pontuação reconhecida, Bruno teve que gravar toda a partida usando o aparelho original e a gameplay pode ser assistido na íntegra através do site da organização.

 

O aparelho que utilizou é um Atari 2600, videogame lançado no Brasil em 1983, e que tem uma história à parte, foi um presente dos pais quando era criança guardado durante mais de 30 anos.

 

“O ano de 1988 foi uma época pesada pra mim porque em Petrópolis teve a queda de uma barreira e a cidade ficou devastada, mais ou menos como aconteceu este ano, e muita gente se mudou. Todos os meus amiguinhos da época foram embora e fiquei sozinho. Isso foi em fevereiro e aí no mês de junho meus pais me deram o Atari de aniversário. E este videogame foi minha companhia. E eu jogava muito Enduro porque ele era o jogo que vinha junto com o aparelho. E eu fiquei jogando por muito tempo. E isso me marcou”, diz Sutter. 

 

O tempo passou, veio a adolescência, veio a música, a comédia, o Bruno cresceu, se casou e para todos os lugares ele levou o Atari, sempre dentro da caixa e muito bem conservado.

 

Chegamos em 2020 e veio a pandemia, “eu fiquei isolado e tive que ficar em casa totalmente sozinho e aí lembrei do Atari, desci ele para a sala e voltei a jogar mesmo e o curioso foi que foi uma situação parecida com a do Bruno criança, o Atari nos meus momentos de solidão foi meu companheiro e acho que o presente foi conseguir este recorde” completa o músico.