Análise da Trilogia Rua do Medo, disponível na Netflix

0
20

 

Na última sexta-feira (16) foi lançado na plataforma de streaming da Netflix o terceiro e último filme da Trilogia Rua do Medo. Poucos filmes de terror conseguiram um final bom quanto Rua do Medo, mas… será que realmente é o fim?

 

 

A Netflix foi corajosa em apostar numa trilogia de filmes de terror e lançar os três longas um por semana. A aposta deu certo e os filmes foram bem elogiados pelo público e talvez… eu disse… TALVEZ… a Netflix queira fazer um quarto filme da série. Será?

 

Em Rua do Medo, um grupo de adolescentes descobre que os eventos aterrorizantes que assombram a cidade há gerações podem estar todos conectados — e que eles podem ser as próximas vítimas. Adaptada da aclamada série de horror Fear Street de R.L. Stine com mais de 50 livros, a trilogia Rua do Medo conta a sinistra história de Shadyside.

 

O primeiro filme mostra os protagonistas da trilogia, que em 1994 buscam a verdade sobre a série de assassinatos que ocorrem de tempos em tempos na cidade de Shadyside. O filme tem um quê de Stranger Things. A fotografia, a trilha sonora e figurinos lembram o da série de sucesso da Netflix. Talvez até tenham aproveitado um pouco do vestuário né? O certo é que pelo menos uma atriz de Stranger Things foi aproveitada na trilogia. A atriz Sadie Sink que interpretou Max em Stranger Things, agora interpreta Ziggy em Rua do Medo. O final de Rua do Medo Parte 1: 1994 mostra que a história macabra destes assassinatos pode ser decifrada e os personagens buscam isso através de uma antiga sobrevivente…

 

Já no segundo filme, vemos uma Shadyside no ano de 1978. O cenário é um acampamento e apesar do clima hostil, as cenas de terror são bem mais amenas do que em 1994. Porém, este filme traz bastante informações relevantes para o terceiro e último filme da trilogia.

 

 

Agora estamos em 1666, e este é o ano do início dos massacres na cidade de Shadyside, que nesta época era apenas um vilarejo cheio de pessoas religiosas doidas para matar uma bruxa. O filme é dividido em duas partes. A primeira, em 1666, mostra o início de tudo e mostra o verdadeiro vilão da história (que não é só um, já te digo isso…). A segunda parte, volta para 1994 afim de encerrar estes massacres. É neste momento que acontecem as cenas mais legais, engraçadas e as perseguições que dão aflição em qualquer pessoa.

 

Na minha opinião, a decisão de lançar um filme por semana foi acertada pela Netflix, afinal, caso lançasse com um espaço de tempo maior podia fazer o público perder o interesse nesta que é uma ótima trilogia.  Caso você não tenha visto, recomendo que maratone, pois vale muito a pena!

 

 

Ao contrário de muitos filmes de terror, a Trilogia Rua do Medo mostra um começo, meio e fim, diferentes de outros que ficamos com aquela cara de ué, esperando um final. Apesar disso, um livro esquecido nas últimas cenas podem dar brecha para um quarto filme da série, e isto é quase certo, devido aos dados de audiência da trilogia.

 

A Trilogia Rua do Medo está toda disponível na plataforma de streaming da Netflix. Confira o trailer abaixo de cada filme:

 

 

 

Trilogia Rua do Medo - Netflix
Nota Final
8.6/10
8.6/10
  • Ideia e Roteiro - 9/10
    9/10
  • Fotografia, Figurino e Efeitos Visuais - 8.5/10
    8.5/10
  • Áudio e Trilha Sonora - 8.5/10
    8.5/10
  • Adaptação e Atuação - 8.5/10
    8.5/10
Sending
VOTAÇÃO POPULAR ➡️
0 (0 votes)

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Uma decisão acertada da Netflix em realizar uma trilogia e não somente um filme. Também acertou em lançar em datas próximas para que o público não perdesse o interesse na série.