Star Wars Day: realidade ou ficção? Conheça 7 curiosidades sobre a saga!

0
20

 

O 4 de maio é celebrado mundialmente como o Star Wars Day por ser um trocadilho com o jargão “que a força esteja com você”, em inglês (may the force, ou fourth, be with you). Os fãs da saga criada por George Lucas consideram a data um feriado não oficial e um momento para relembrar e assistir novamente os nove filmes, além das séries e animações derivadas da obra.

 

A arte imita a vida?

 

Desde 1977, quando foi lançado o primeiro título, Star Wars: Uma Nova Esperança, a saga cativou fãs ao redor do mundo por diversos motivos.

 

Na opinião do professor e especialista em História e Filosofia do Colégio Marista Maringá, Paulo Soares Asalin, o cinema tem o poder de entreter, emocionar e informar o público ao mesmo tempo e por isso continua sendo um canal tão importante ao longo dos anos. “O cinema é uma ferramenta importante pois consegue levar para a sociedade temas relevantes como História e Filosofia, por exemplo”, analisa. “Como é o caso do clássico Star Wars, que traz debates e embates históricos ao alcance da população”, explica o professor.

 

Confira 7 curiosidades históricas presentes na saga Star Wars, descritas por Asalin, em parceria com o ex-aluno e estudante de História, João Luiz Amaral Castellani:

 

Jedi japonês: o nome jedi (jedai) é resultado da influência do diretor Akira Kurosawa, um dos mais renomados cineastas japoneses. Sua obra é dividida em dois gêneros: gendai-geki, que se passam no presente e jidai-geki, que são retratados no passado, sendo esse último, inspiração para que George Lucas nomeasse os Jedis dessa forma.

 

 

Inspiração japonesa: a narrativa do primeiro Guerra Nas Estrelas, conta a história do jovem Luke Skywalker, que se envolve em uma Guerra Civil Intergalática ao lado do piloto e contrabandista Han Solo e seu co-piloto Chewbacca, a fim de concretizar os planos da Princesa Leia e interceptar o projeto secreto imperial da Estrela da Morte. O enredo foi inspirado no filme “A Fortaleza Escondida” de 1958, do diretor Akira Kurosawa, em que dois camponeses ajudam um mentor samurai e uma princesa a se livrar das forças imperiais adversárias.

 

 

Guerra do Vietnã: A Guerra dos Rebeldes contra o Império, que acontece no Episódio IV: Uma Nova Esperança, retrata o furor de uma batalha desigual e relembra a Guerra do Vietnã (que acontecia enquanto o diretor escrevia o primeiro filme da franquia).

 

Regimes autoritários: O surgimento do Império Galáctico e a formação da Estrela da Morte, que ganharam força a partir da crescente ascensão de Darth Sidious, o imperador autoritário que transforma a República Galáctica em Império Galáctico, levando a um enorme extermínio de Jedis encabeçado por Anakin Skywalker, seu aprendiz e futuro Darth Vader. A fala da senadora Padmé depois da vitória de Palpatine é muito marcante nesse momento para que entendamos de onde vêm as referências no universo fantasioso de Star Wars, em suas palavras: “Então é assim que a liberdade morre. Com um estrondoso aplauso”.

 

Influências da Roma antiga: pode-se notar em Star Wars, principalmente na República e Senado, ligações com a Roma Antiga. A organização e queda dessas instituições remete ao período em que viveu Júlio César, imperador romano que desempenhou papel fundamental na transição do modelo republicano para o Império Romano, como acontece no não tão aclamado “A Vingança dos Siths”, com a ascensão de Palpatine e a queda da democracia.

 

Paralelo com o nazismo: a referência é clara nos uniformes dos oficiais da Estrela da Morte, diretamente inspirados nos uniformes nazistas, assim como as  cerimônias e momentos durante a saga que remetem ao documentário “O Triunfo da Vontade”, da cineasta alemã Leni Riefenstahl, a obra foi filmada em 1934 durante o sexto congresso do partido nazista, evento que reuniu em torno de trinta mil simpatizantes da ideologia.

 

Preconceitos raciais: Além disso, o Império e seus membros têm uma visão contraditória a respeito dos aliens. Para eles, são criaturas inferiores, que devem ser serventes ou escravos e não são bem vindos por serem diferentes. A inspiração é clara e as características presentes nas organizações interplanetárias não escondem, exemplo disso são os Stormtroopers, criados geneticamente para defender os interesses do Império, onde o caráter opressor é marca registrada.

 

 

Sobre os Colégios Maristas

 

Os Colégios Maristas estão presentes no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.