Análise do filme ‘Mulher-Maravilha 1984’

0
84

 

Após vários adiamentos o filme ‘Mulher-Maravilha 1984’ finalmente foi lançado no último dia 17 de dezembro e apesar de toda a expectativa gerada em torno dele, o longa não trouxe uma história incrível como esperávamos.

 

 

Quem assistiu o primeiro filme da Mulher-Maravilha sabe que aquilo foi realmente uma obra de arte e que nos encantou do começo ao fim, mas talvez seja por isto que nós fãs tenhamos gerado tanta expectativa para ‘Mulher-Maravilha 1984’. Toda essa expectativa não é benéfico, pois quase sempre o produto final não se encaixa no que esperávamos.

 

‘Mulher-Maravilha 1984’ não é um filme ruim como muitos tem dito por aí, mas também não é aquele filmão que esperávamos. É um filme simplesmente “OK”, e que provavelmente vai ser importante para a continuação da história de nossa heroína (sim, já sabemos que haverá um ‘Mulher-Maravilha 3’).

 

 

Neste novo longa de nossa heroína, Diana (Gal Gadot) mora em Washington, trabalha no Museu Smithsonian e nas horas vagas salva crianças de atropelamentos e impede assaltos a shoppings. Ela já não é a mesma moça inocente do primeiro filme, mas também não é uma humana comum, encarando a vida com um olhar amoroso, enquanto nutre sua nostalgia.

 

O filme é bem leve por sinal e com um tom mais “colorido”, típico dos anos 80. O bom humor está presente em cada personagem e em cada cena que vemos. Às vezes até esquecemos que estamos num filme da DC (tal qual acontece em ‘Shazam!’).

 

A trama toda é em volta de uma relíquia que concede desejos à quem a possui. Esta relíquia acaba nas mãos do ganancioso Maxwell Lord (Pedro Pascal), que através de um desejo se une a pedra e ele se torna a relíquia em pessoa. Esta relíquia também passa pelas mãos de Barbara Ann Minerva (Kristen Wiig), uma pesquisadora desengonçada e que deseja ser tão bela, forte e elegante quanto Diana (que também por acaso acabou desejando a volta de seu amado Steve Trevor (Chris Pine) à vida). Tudo isto acontece para no final mostrar à humanidade (e ao espectador) uma mensagem bonita de esperança e de devemos acreditar na verdade, sempre, e que o melhor ainda está por vir.

 

O filme é realmente bonito em seu simbolismo, mas quando falamos em termos heroicos e em cenas de ação aí a coisa pega. Há algumas cenas que vemos vários erros, como a que Diana salva duas crianças de serem atropeladas numa estrada e ela cai com estas no asfalto. As crianças rolam pelo asfalto e se isto fosse realmente uma tentativa de salvamento, ela teria falhado miseravelmente. Também me incomoda as cenas onde Diana aparece já com sua armadura dourada (do nada!) após estar voando com sua roupa tradicional e não para por aí, tem a transformação da Barbara em Mulher-Leopardo que não foi muito bem explicada, ela simplesmente apareceu assim…

 

 

No final, além da mensagem positiva (e que precisamos muito nestes tempos de pandemia), vemos uma Diana mais madura e que larga seu passado para viver um presente e um futuro promissor.

 

Ah…. também tenho que destacar a cena pós-crédito que faz qualquer fã mais antigo da Mulher-Maravilha arrepiar!

 

O filme ‘Mulher-Maravilha 1984’ está em cartaz nos cinemas brasileiros. Confira o trailer abaixo:

 

 

Mulher-Maravilha 1984
Nota Final
9.1/10
9.1/10
  • Ideia e Roteiro - 8.3/10
    8.3/10
  • Fotografia, Figurinos e Efeitos Visuais - 9.2/10
    9.2/10
  • Áudio e Trilha Sonora - 9/10
    9/10
  • Adaptação e Atuação - 9.7/10
    9.7/10
Sending
VOTAÇÃO POPULAR ➡️
4 (1 vote)

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O filme peca em algumas cenas de ação, mas no final tem saldo positivo. Vale a pena conferir e se emocionar!