Análise da 4º temporada da série ‘3%’

0
35

 

A série de produção nacional ‘3%’ teve sua temporada final lançada no último dia 14 de Agosto na plataforma de streaming da Netflix. O desfecho do thriller pós-apocalíptico foi simplesmente sensacional e com uma fotografia muito bonita.

 

Desde quando a 1º temporada foi lançada na Netflix, ‘3%’ se tornou para mim uma das melhores e mais bem roteirizadas séries da plataforma. E o mais legal era ver que a uma série nacional pudesse sair daqueles assuntos corriqueiros como tráfico e bundas de séries/novelas/filmes brasileiros. A série tem uma boa história e com o passar das temporadas foi crescendo de uma maneira tão bonita e interessante que deixava sempre um gostinho de quero mais.

 

Já no início desta 4º temporada vemos Joana e outros da “Concha” indo até o “Maralto” para negociar um “tratado de paz”, mas claro que nem um lado, nem o outro querem isso, mas sim vingança. Desde o primeiro episódio já percebemos que o protagonismo da série se volta para Joana (Andreza Oliveira), deixando o personagem de Bianca Comparato (Michele) em segundo plano. Como toda os outros episódios das temporadas anteriores, estes fazem a história crescer pouco a pouco, sem pressa e de uma maneira quase que orgânica, fechando cada ponto solto.

 

Após algumas tentativas fracassadas de destruir o “Maralto”, o grupo consegue numa cena de deixar qualquer espectador aflito, enviar um submarino com uma “bomba” que explode no meio da ilha, deixando o local sem a tecnologia principal, mas teve algo pior…. uma usina explodiu junto, deixando o “Maralto” radioativo, obrigando os moradores a voltar pro “Continente”. Neste episódio temos que destacar a participação especial de Ney Matogrosso como Leonardo, pai da Marcela e avô de Marco. O cantor mostrou seus dotes de ator e mandou super bem! Melhor do que muito “atorzinho” que vemos em novelinhas por aí….

 

Um dos grandes trunfos de ‘3%’ é seu elenco variado e muito bem escolhido. Como destaque, claro, tenho que citar Andreza Oliveira (Joana) que desde a primeira temporada foi (pelo menos pra mim) a melhor atuação da série, transformando sua personagem na mais importante. Também temos que falar de Fernando Rubro (Xavier) que conseguiu levar seu personagem de um rapaz tímido e bonachão para um cara forte que consegue passar “no processo” e ainda depois ser o representante de uma “facção” nos episódios finais.

 

A série também tem alguns nuances e “um quê” de produções famosas da cultura pop, tais como a inspiração nas roupas do povo do “Maralto” que lembram as de Star Trek e até o personagem André (Bruno Fagundes) que se tornou uma espécie de Darth Vader (sem “a força”).

 

 

A série te deixa em vários momentos ansioso e tenso com as cenas, a trilha sonora favorece isto também e o emocional é levado ao limite em alguns momentos. Não podemos deixar de citar a inteligência nas criações dos “desafios” criados durante “o processo”, em especial o desafio final levando seis personagens a disputarem o comando do “Continente”.

 

O final da série é um dos mais bonitos que já vi, deixando claro que o grande problema da humanidade é infelizmente o próprio ser humano que é insatisfeito por natureza. Será que realmente queremos uma humanidade unida onde todos tem os mesmos direitos?

 

Talvez eu esteja emocional demais (pois faz poucas horas que terminei a série), mas depois de ‘Breaking Bad’, a série ‘3%’ se tornou uma das melhores da Netflix e vai deixar saudade para os fãs.

 

Se você ainda não conhece a série ‘3%’ eu super recomendo que maratone ela!

 

A 4º temporada da série ‘3%’ já está disponível na plataforma de streaming da Netflix. Confira o trailer abaixo: