Novo recorde: dobrou a receita com exportação de jogos de empresas do Brazil Games em 2018

0
7

 

As exportações das empresas do Projeto Brazil Games, uma parceria da Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Digitais (Abragames), com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), bateu novo recorde em 2018. Ao todo, as 114 empresas participantes do Projeto exportaram US$ 52,7 milhões de dólares, fruto da produção de jogos próprios e prestação de serviços, artes, live opps, co-produções, consultoria, publishing, entre outros. De 2017 para 2018, a exportação das participantes do Brazil Games cresceu 132,15%, saltando de US$ 22,7 milhões para US$ 52,7 milhões.

 

Durante os últimos quatro anos do Projeto de Exportação Brazil Games, o número de empresas exportadoras cresceu 107%: de 2015 a 2018, o total saltou de 55 para 114 participantes. O volume de exportação apresentou um crescimento ainda mais significativo, com 379% de aumento, no mesmo período: de US$ 11 milhões para US$ 52,7 milhões. .

 

Segundo Eliana Russi, gerente executiva do Brazil Games, as empresas associadas ao projeto amadureceram muito nos últimos cinco anos, e ganharam experiência e competitividade no mercado externo. O resultado foi o crescimento das exportações. “O nosso trabalho de promover os jogos nos principais mercados de game internacionais – como o americano, o europeu e o canadense – tem sido fundamental para chegarmos nesse resultado,” comemora Eliana Russi. “O Brasil hoje é reconhecido mundialmente como um player do mercado de games, conseguimos isso devido à competência dos nossos empresários e ao apoio da Apex-Brasil.”

 

Esses dados de exportação do Brasil Games serão anunciados, hoje, sexta-feira, na
7º Edição do BIG Festival, que acontece em São Paulo de 26 a 30 de junho.

 

Expectativa de crescimento

 

Na lista dos países com maior faturamento dentro da indústria de jogos, a China, Estados Unidos e Japão ocupam as 3 primeiras posições. O Brasil ocupa a 13ª posição, com faturamento de US$ 1,5 bilhão em 2018 e projeção de crescimento médio a taxas de 13,5% ao ano, portanto acima da média mundial. Na América Latina, o Brasil está atrás somente do México, com US$ 1,6 bilhões de faturamento anual. Já quando se observa o número de jogadores, o Brasil decola: são 75,7 milhões de pessoas ligadas em games. O Brasil ocupa a quarta posição no ranking global de países em número de consumidores de jogos. A divergência na posição ocupada pelo Brasil em termos de números de consumidores e faturamento é um forte indicador do potencial de crescimento da indústria de jogos digitais no país. O recente relatório de tendências da PriceWaterhouseCoopers apoia esse indicador ao afirmar que a indústria de jogos eletrônicos vai liderar o crescimento da Indústria Criativa do Brasil, com 16,57% de crescimento acumulado no período de 2016 e 2021. Os setores de Áudio e Cinema devem crescer, no mesmo período no Brasil, 8,03% e 6,82%, respectivamente. O setor de Jogos Eletrônicos será, portanto, a área responsável por alavancar a Indústria Criativa no Brasil nos próximos três anos.

 

Sobre o Brazil Games

 

O Projeto Setorial de Exportação Brazil Games é um programa sem fins lucrativos, criado pela Abragames (Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos) em parceria com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), com o objetivo de fortalecer a indústria brasileira de jogos digitais, capacitando e criando novas oportunidades de negócios para as empresas brasileiras no mercado internacional.

 

Sobre a Apex-Brasil

 

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. A Agência também atua de forma coordenada com atores públicos e privados para atração de investimentos estrangeiros diretos (IED) para o Brasil com foco em setores estratégicos para o desenvolvimento da competitividade das empresas brasileiras e do país.